quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Review: Toki


Título: Toki
Produtora:
TAD Corporation
Ano de lançamento: 1991
Plataforma: Nintendo Entertainment System

Olá pessoal, hoje iremos falar de mais um famoso desconhecido do mundo dos games, desta vez será Toki.

Este é mais um jogo com tema pré-histórico com história bizarra. O game começa com o herói Toki, um cara musculoso só de sunguinha, que teve a sua namorada, Miho, sequestrada pelo maligno feiticeiro Vookimedlo, que além de tudo o transforma em um macaco com cuspe mortal (Oo) e que agora deve resgatar sua namorada e derrotar o mago maligno para voltar ao normal.

E para ajudar em sua aventura, Toki conta com alguns itens e melhorias para seu cuspe, como:


O capacete de futebol americano protege nosso herói por um curto período de tempo.
Os tênis (sério? Tênis pré-histórico?) o permite saltar mais alto.
Fireball: atira esferas maiores e mais poderosas.
Lança chamas: tem algo mais legal que usar um lança chamas com a boca?
Fire Burst: similar a fireball, mas com a possibilidade de se carregar o tiro.
Triple shot: cuspir em três direções simultâneas é para poucos.
Wave spit: dois tiros que vão ondulando pela tela.
Entre outros, como os itens de cura e vidas extras.


Os estágios são bem interessantes, indo de florestas para cavernas, e do fogo de vulcões ate áreas congeladas (e escorregadias), forçando o jogador a sempre se adaptar ao local. Adaptações essas, como o fato de Toki poder andar abaixado para passar em locais estreitos, assim como escalar cipós e nadar (sim ele é um dos heróis que não morrem afogados).


O jogo tem apenas seis estágios, e antes de cada um é contado um pedaço da história, narrando às viagens de nosso herói peludo. E ao fim de cada estágio Toki deverá derrotar o chefe, a maioria deles é bem simples de se derrotar, mas a aparência é algo que realmente chama a atenção.

E falando nos mestres das fazes, eles são particularmente estranhos, e não apenas na aparência, mas seus nomes também, e eles são:


Boloragog: uma africana de vestido verde que ataca com seus macacos adestrados  em forma de bolinha (LOL).


Rambacha: um monstro branco voador com um olho gigante que ataca jogando vários olhos no jogador até a cavidade ficar vazia (ok, isso é bizarro).


Mogulvor: não sei como descrever ele, se como um coração ou um estomago, pois apesar da forma de coração ele ataca jogando a palavra arroto (BURP) no jogador.


Zarzamoth: um elefante de esmeralda quer ataca com suas presas de rubi como se fossem bumerangues.


Bashtar: este é bizarro (como se os outros não fossem), se trata de duas mãos, dois pés e um coração e só, enquanto o jogador se protege dos ataques das mãos e dos pés, deve atirar no coração para vencê-lo.


Vookimedlo: hora do confronto final contra o grande vilão, que logo que aparece se transforma em um demônio roxo com chifre vermelho e uma capa e após tomar algum dano ele perde a capa, revelando seu corpo verde e o coração exposto, agora ele passa a atacar com cabeçadas, esticando o pescoço, tentando pegar o herói com a sua mão (sim, ele só tem uma nesta forma) e jogando bolinhas.

Os gráficos são bem coloridos e medianos, assim como suas músicas, efeitos sonoros e história são medianos, a jogabilidade é boa e precisa, mas mesmo assim o jogo ainda é um game mediano, mas muito bom para se passar algumas horas e, além disso, onde mais podemos ser um macaco que mata os inimigos com cuspe?

No mais, Toki é um jogo que poucos conheceram na época de seu lançamento (e os que conheceram viram o japonês) mas que vale a pena ser lembrado, se não por sua popularidade, ao menos por ser um jogo bizarro e divertido.

Curiosidades e dicas:

  • - O nome japonês do jogo é Juju Densetsu.
  • - O nome japonês de Toki é Juju.
  • - Quando esta nadando Toki pode atirar apenas para frente.
  • - O lança-chamas funciona dentro da água.
  • - Em algumas partes o jogador deverá matar inimigos para pegar uma chave e poder avançar no jogo.
  • - A versão de Mega Drive, apesar de ser o porte com melhores gráficos, é um jogo totalmente diferente do original.
  • - A versão de NES é a única em que o cenário fica preto nas lutas contras os chefes.












Um comentário: